Google Website Translator Gadget

domingo, 27 de março de 2011

Grupo Teatro Empório apresenta “A Ordinária” no Teatro do SESI

GTE pequeno Há alguns dias eu ofereci a vocês a premissa do novo trabalho do Grupo Teatro Empório, “A Ordinária”. Bem, agora recebi por e-mail do diretor, ator e dramaturgo Landro Bacellar o que posso chamar de premissa de mais um bom trabalho do grupo.

Quem conhece o GTE – como é carinhosamente conhecido –, sabe do que estou falando. Desde seus primeiros trabalhos – antes mesmo do nome -, o grupo sempre investiu em trabalhos cuja dramaturgia tinha como principal elemento o sentir. Eu não posso falar das duas peças anteriores ao “Boulervard, 83”, mas no musical vemos a luta de um grupo de artistas para a manutenção do cabaré Boulervard, não somente contra um gangster e uma prostituta mal intencionada, mas contra a inércia que se mantinha a casa. Em “Rosa Negra”, vimos outro tipo de luta, pela sobrevivência. Humanos se devorando, brigando, amando, tudo com o objetivo de sobreviver, sendo sempre usados como peças de um jogo entre o céu e o inferno. Agora veremos um novo trabalho, que promete manter o nome do GTE entre os maiores grupos do estado do Espíroto Santo.

As apresentações acontecem no Teatro do Sesi na 3ª Edição do Circuito de Teatro Banescard, com produção da WB Produções, nos dias 02 e 03 de abril de 2011 (sábado e domingo), nos horários de 20h00 (sábados) e 19h00 (domingos), com ingressos nos valores de R$ 20,00 (inteira) e R4 10,00 (meia), sendo que clientes Banescard têm desconto de 50% no valor do ingresso. Depois a peça segue para Alegre/ES, no Teatro Vírginia Santos, nos dias 16 e 17 de abril de 2011 (sábado e domingo) e Guaçuí, no Teatro Fernando Torres, nos dias 23 e 24 de abril de 2011 (sábado e domingo). Abaixo disponibilizo o material enviado a mim por Leandro, que pode também ser visto no blog do grupo: http://teatroemporio.blogspot.com/2011/03/estreia-ordinaria.html. Bom espetáculo para todos!

A Ordinária

Grupo Teatro Empório retorna aos palcos envolvido no universo de Nelson Rodrigues

Amores, traições, mistério e humor. A dramaturgia do novo espetáculo do grupo foi inspirada nas crônicas de Nelson Rodrigues. “A Ordinária” utiliza o melodrama para contar a história de Cecília, que no dia do casamento do irmão mais novo, Bernardo, recebe a visita da irmã Nelma, que está gravemente doente. As duas acumulam inúmeras desavenças, a maior delas é Ernando, marido de Cecília, alvo incontestável do amor das irmãs. Afastada durante anos por Cecília, Nelma retorna para cobrar o seu posto na família. A relação fica ainda mais conturbada quando Nelma descobre um diário, escrito pelo irmão, relatando detalhes das traições de Cecília. A partir daí as personagens lançam mão de inúmeras artimanhas para conseguir o que desejam.

É uma forma diferente de enxergar o maior dramaturgo brasileiro. A obra foi livremente inspirada no universo rodriguiano e aborda amores partidos, saturados, amores roubados, incondicionais, cegos, amores que chegam até as últimas conseqüências. O objetivo do Grupo Teatro Empório é revisitar Nelson, com simplicidade, sem copiar seu estilo. Além de Nelson Rodrigues, a pesquisa do espetáculo passa pelo cinema, principalmente Douglas Sirk, ícone do melodrama cinematográfico.

"O espetáculo é livremente inspirado nas crônicas de Nelson Rodrigues, não encenamos nenhuma. É um compilamento do universo do cronista, e não do dramaturgo. Obviamente que as vezes a obra dele se mistura, todavia a dramaturgia do Nelson, não é o enfoque, portanto "Bonitinha mas Ordinária", "A Serpente" , "A Mulher Sem Pecado" entre as outras 14 obras dramatúrgicas, não foram o foco da inspiração. O texto é um tratamento original, é uma visita ao Nelson sem copiar seu estilo ou algum texto, inclusive porque seria plágio. A peça é um melodrama, por isso também utilizamos as crônicas, que possuem maior efeito melodramático. As tragédias ficaram para uma próxima." Explica Leandro Bacellar, que escreveu o texto junto à atriz e jornalista Luana Eva.

Nessa nova empreitada o GTE contou com o apoio do Edital-004 de Residência em Artes Cênicas, da Secretaria de Estado da Cultura. A partir daí o Grupo foi buscar referências para a nova pesquisa. O diretor carioca, Vinícius Arneiro, da Cia Teatro Independente, foi convidado a participar do projeto. Formado na Escola de Teatro Martins Pena, Vinícius foi indicado em 2007 ao Prêmio Shell RJ, de melhor direção, com o espetáculo “Cachorro!”. Em suas visitas ao Estado ele elaborou a concepção geral do espetáculo e compartilhou com Leandro Bacellar a direção. Depois de seis meses de ensaio, o Grupo leva ao palco um espetáculo original, utilizando um olhar estrangeiro.

Sinopse:

Cecília, uma mulher casada, tem dois amantes, um deles o melhor amigo do marido. Ela recebe a visita da irmã, Nelma, no dia do casamento do irmão mais novo. O motivo principal da briga entre das duas é Ernando, marido de Cecília. Segredos e mágoas do passado voltam a ser discutidos. Amor, ódio, traição e mentira costuram a nova realidade dessa família.

Ficha Técnica:

Encenação: Leandro Bacellar e Vinícius Arneiro

Dramaturgia: Leandro Bacellar e Luana Eva

Diretora de Produção: Luana Eva

Figurino: Luana Eva

Cenografia: Leandro Bacellar

Assistente de Produção/ Operador de Som: Ramon Alcântara

Light Designer/ Operador de Luz: Thiago Sales

Técnico de Som e Áudio : Maurício Ramos

Fotografias: Virgílio Libardi

Contra Regras: Josimar Teixeira e Luciene Camargo

Produção: WB Produções

Elenco: Diego Carneiro, Diogo Reis, Leandro Bacellar, Luana Eva, Nívia Carla, Stace Mayka, Thiara Pagani e Werlesson Grassi.

Serviço:

Datas: 02 e 03 de Abril

Horário: Sábado às 21h e Domingo às 19h

Local: Teatro do SESI

Endereço: Rua Tupinambás, s/nº. Jardim da Penha – Vitória- ES.

Informações: http://www.wbproducoes.com

2 comentários:

diego disse...

Deixando claro André, que a peça NÃO SERÁ APRESENTADA NOS DIAS 9 E 10. SOMENTE DIAS 2 E 3, RESPECTIVAMENTE ÀS 21H E 19H.
Obrigado!

Diego Carneiro - GTE

Teatro Capixaba disse...

Obrigado Diego, fiz o acerto. O ideal é que a WB acertasse no site dela, também. Valeu! Abraços.